“O Parque de Ciência e Tecnologia de São Miguel” será uma âncora da reforma do pensamento de empresários, investigadores e cidadãos de modo a atingirmos novo patamar de desenvolvimento económico e social”, disse hoje José Contente, acrecentando que "neste parque tecnológico, confiamos que o sistema de conhecimentos estruturado em ciência e tecnologia e uma cultura apropriada para a inserção competitiva no mundo globalizado constituam objetivos centrais da sua atividade”.

O Secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos falava na cerimónia de assinatura do contrato para a construção da 2ª fase do Parque Tecnológico de São Miguel, Nonagon.

“Este local pode mostrar as reais vantagens de “spin-off”, networking e conectividade, investigação e desenvolvimento em contexto empresarial e de muitos outros sustentáculos do empreendedorismo atual num quadro de melhor competitividade das empresas. Mas, é também um espaço onde a rede de conhecimentos, tecnologia e inovação terão uma amplitude global (global players), de modo a promover negócios saudáveis, com incubação cruzada de empresas, “joint-ventures” e outras parcerias estratégicas rentáveis”, disse ainda o Secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos.

O Parque Tecnológico de São Miguel é um investimento na ordem dos 9 milhões de euros e foi adjudicado ao consórcio formado pelas empresas Marques, S.A.; Somague – Ediçor - Engenharia S.A. e Tecnovia Açores num prazo de execução de 400 dias.

A área de intervenção do Projeto do NONAGON é de 21.150 m2, dos quais, 17.830 m2 de área de construção acima do solo, onde serão edificadas as suas quatro valências principais: o Centro de Ciência, Tecnologia e Inovação dos Açores onde ficará situado o “Disaster Recovery Center”; o Centro de Tecnologias de Monitorização e Alertas; o Centro de Formação e Desenvolvimento Tecnológico constituído pelo centro de conferências e exposições e um anfiteatro para cerca de 400 pessoas, com possibilidade de tradução simultânea até 8 línguas, e diversos espaços com grande versatilidade, desde salas de conferências, salas de reuniões e áreas de exposições; e ainda o Centro Empresarial de Tecnologias de Informação e Comunicação destinado a empresas e entidades de I&D (investigação e desenvolvimento).

Nesta empreitada, será também construído um espaço exterior de uso público que se encontra localizado a Sul do edifício, com uma área de 4.540 m², denominado por Praça, onde poderão ser realizados eventos com carácter periódico. Nos limites da implantação da Praça, pretende-se construir um parque de estacionamento para 148 veículos.