São Paulo - Em 2011, a Harvard Business School estabeleceu uma nova metodologia de ensino em seu MBA de dois anos, introduzindo atividades práticas de aprendizado. O curso está estruturado em três dimensões: ser, fazer e conhecer. Os estudos de casos continuam sendo a base do ensino, agora complementados pelo Field Immersion Experiences For Leadership Development (Field), o mergulho dos alunos no mundo real, que incluiu visita a uma multinacional brasileira no início deste ano. Nitin Nohria, reitor da instituição, explica essa mudança.

- Por que a escola fez essa mudança?

Nitin Nohria - O Field foi concebido porque queremos reduzir a distância entre a teoria e a prática. Acreditamos que os estudos de caso e o novo método são necessários para desenvolver as pessoas como líderes que vão fazer a diferença no século 21. Como disse o professor David Garvin [autor do livro Rethinking the MBA], não estamos diminuindo a importância dos estudos de caso [em uso desde 1920 na escola].

Eles ainda são uma ferramenta importante na aprendizagem de conceitos essenciais, contextos organizacionais e o ponto de vista do tomador de decisão. Com o Field, combinamos o conhecimento, a análise e a experiência com o intuito de criar um novo estágio no ensino da administração.

- O novo currículo exigiu mudanças no corpo docente e no espaço físico da escola?

Nitin Nohria - A experiência pedagógica dos professores permite que eles trabalhem muito bem com diferentes metodologias. E eles demonstraram uma capacidade incrível para elaborar os novos exercícios e os projetos com os parceiros. Também desenhamos e construímos dez novas salas para acomodar os pequenos grupos de alunos. Chamamos os novos espaços de colmeias. Ao contrário do layout de anfiteatro das salas tradicionais de MBA, as colmeias permitem a movimentação de mesas e cadeiras a fim de atender à natureza do exercício.

- Como foi o primeiro ano com a nova metodologia?

Nitin Nohria - A mudança do programa curricular e a criação do Field em 2011 envolveram dez professores e uma parte da equipe da escola. Foram muitas horas de trabalho. Aproximadamente 900 alunos já estudam no novo método. E o resultado é positivo. Tanto os estudantes quanto o corpo docente se mostraram entusiasmados com o novo método.

Mão na Massa

As três dimensões da nova metodologia de Harvard

Ser

Objetivo: desenvolver o autoconhecimento e aprimorar a habilidade de trabalhar com outras pessoas.
Como: um módulo realiza workshops, feedback e exercícios de autorreflexão para que os estudantes desenvolvam uma consciência maior de seu estilo de liderança e aumentem a sua inteligência emocional."

Fazer

Objetivo: colocar em prática as habilidades de liderança desenvolvendo um projeto num país emergente.
Como: no módulo Inteligência Global, os alunos, divididos em 12 grupos de seis pessoas, participam do desenvolvimento de um produto ou de um serviço em países como Brasil e Índia.

Conhecer

Objetivo: sintetizar a teoria, estudada no primeiro ano, com a prática.
Como: no módulo Inteligência Integrativa, os alunos são desafiados a sintetizar todo o conhecimento teórico que obtiveram no primeiro ano com a experiência prática do primeiro e segundo módulos do Field a fim de criar um pequeno negócio.

Fonte/ Autor: Karla Spotorno | Você s/a, Formação, 19/09/2012 publicado no blog Blog Inteligência Competitiva e Gestão